Guia do Violinômetro

Completo Iniciante: O cara que assistiu a algum concerto ou filme sobre violino, se empolgou e foi comprar todo feliz um violino chinês (mal sabe ele…). Chega em casa e demora uma cara pra entender como funciona o breu e como se encaixa uma espaleira (isso se ele sabia que tinha que comprar a tal da espaleira). Espera ansioso pela primeira aula de violino mas até lá fica arriscando um “do ré mi fá” no violino com a ajuda de sites ‘especializados’. O que as pessoas dizem quando vêem ele com o violino: Nooossa, o som do violino é lindo, né? 

Tosco: Típico violinista tosco. Som de iniciante e desafinado (o que é normal já que ninguém nasceu sabendo). Depois de duas ou três aulas, quando o professor diz que é importante estudar corda solta todo dia, ele fica à tarde ou a noite na janela todo seu quarto fazendo corda solta toda vida. Nessa fase o cidadão corre o risco de receber no bairro o carinhoso apelido de ‘mosquito’ ou ‘gatinha’ (no cio, minhéééééééééu).
Ruim: Aqui ele começa a perder aquele som de iniciante, mas a afinação ainda é um uma caracteristica dolorosa. Primeira posição, sempre, aliás muitas vezes nem sabe que existem outras. Estuda muito animado apesar do expressivo desânimo de amigos e parentes que naum vêem uma luz no fim do túnel (poxa já faz mais de um ano e ele ainda tá nesse nhééé nhééé nhééé ae…). O que as pessoas dizem pra ele: É isso ae, o importante é estar sempre estudando.

Meia boca: Sabe aquele carinha que toca violão nas rodinhas de amigos, tá sempre com aquelas revistinhas de cifras, toca sempre os mesmos acordes na mesma batida e mesmo assim ainda para algumas músicas na metade? Entaum, esse é o relativo no violão do violinista meia boca. O violinista meia boca ta sempre com uma partitura de um minueto do bach, ou similar, por perto pro caso de alguem pedir pra ele tocar alguma coisa. Tb para as músicas na metade. Já ta quase perdendo aquele som de iniciante, e sempre que possivel arrisca uma segunda ou terceira posição, apesar de sair tudo desafinado. O que os amigos (não-violinistas) dizem: Poxa, mas vc já ta tocando bem hein meu? Ele responde: Naum, eu ainda to tocando meia boca! 

Mais ou menos: Aquele cara mais ou menos. Um pouco técnico, mas inexpressivo. Ou seja naum fede nem cheira. Estuda mudança de posição e já pensa em ir para festivais. Começa a fazer uma coleção razoavelmente grande de partituras que provavelmente só vai conseguir tocar em 4 ou 5 anos, isso se tudo correr nos conformes. O violino chinês já naum ajuda em absolutamente nada, e ele começa a juntar dinheiro pra comprar um de luthier (isso se já naum comprou com a ajuda de um tio mecenas). Já pensa tb em tocar em casamento. As pessoas nunca dizem nada se ele naum perguntar, e quando ele pergunta elas dizem: É, tá melhorando sim.

Bom: Esse cara já começa a pensar numa vida de violinista de verdade. Faz teste pra pequenas orquestras, e participa de festivais. Vai para master classes sempre que tem a chance, apesar de sempre que acaba de tocar os professores fazem uma boca murcha e dizem: É, ta bom, só que… Isso quando naum é um professor perturbado que ainda pergunta: Vc naum tem vergonha de vir aqui fazer isso? Esse já naum desanima mais, sempre pra la e pra ca com aquela case enorme onde caberiam facilmente dois violinos e uma estantezinha de música. Conhece histórias ‘hilárias’ de violinistas da Golden Age e conta elas de maneira arbitrária pra qualquer um, em qualquer situação, sempre que tem a chance. 

Ótimo: Nessa fase começa o doloroso processo de se estudar o kreutzer 239081294174 vezes com 239081294174 professores diferentes, bem como vários concertos que são exigidos nos testes para orquestras médias (Mozart, Beethoven, Mendelssohn e afins). O violinista ótimo reconhece suas dificuldades e luta pra vence-las, e sempre que tem a chance fala pros outros quais são essas dificuldades em detalhes que ninguém faz questão de saber. – Poxa, mas vc ta tocando bem hein rapaz? – É, mas mas meu braço ainda ta muito alto aqui, essas mudanças de arco tão exageradas, a afinação nessa mudança de posição naum tá legal…

Profissa: Esse é o cara profissa mesmo. Faz cachês em todo canto, grava sempre que possivel e ainda arrisca dar alguns workshops. Chega nesse ponto todo violinista tecnicamente resolvido e afinado. Adora música de câmara, e toca em recitais sempre que tem a chance. Sabe tudo sobre música erudita, violinistas e violino, mas quando chega em casa ouve Jazz ou MPB (às vezes até escondido). Esse é o ponto onde todo violinista mediano tem plenas condições de chegar se estudar muito.

Aspirante a Paganini: Solista. Ou Spalla de uma grande orquestra. Teve aulas com excelentes professores, estudou desde muito pirralho e já tocava muito com 14 anos de idade. Coisa absurda mesmo. Dos dois um, ou o cara é muito gente fina, adora a vida e sabe curtir e se divertir com as pessoas a sua volta sem nunca desprezar ninguém, ou o cara é um babaca sem noção, mas isso depende da sua escola. Todos temos um pinguinho de inveja desses caras, e adoramos assistir seus concertos! 

Violin Master: Grau máximo do violinômetro. O violin master é um sujeito que nasceu pra isso, e toca violino como ninguém. Geralmente deixa sua marca na história. Perlman, Heifetz, Menuhin, Oistrakh, Milstein, Kogan, entre outros grandes nomes foram agraciados com esse título. São monstros do violino. Bestas mitológicas. E como toda a besta mitológica eles tb estão em extinção…

E então? como você se classifica? Deixe o seu comentario!!!



6 comentários:

Anônimo disse...

Me classifico como o cara que vai comprar um violino chines, bem barato e começar.

Clésio09 disse...

Acho que estou no bom, cara estou estudando tanto e não consigo perceber evolução. Passei os metodos Suzuki até o 6 e o Laoureux I, II, III Sitt I, II, III estudei cordas duplas e muita, mas muita escala e agora estou em grande dificuldade de evoluir mais, estudo todo dia pelo menos uma hora e parece que está sempre do mesmo jeito. Amigos o que falta para mim?

Joyce Ellen disse...

Me encaixo perfeitamente no: Mais ou Menos. rs !

Anônimo disse...

Mais ou menos, mas mudaria algumas coisas :)
Estou estudando Sitt 11 e 12, concerto em la menor de vivaldi e por ai vai ehehhe
estudo a 1 ano e meio :S um dia chego no Profissa !!11

Daniel Martins disse...

Estou estudando sozinho.
Comprei um Nhureson madeira exposta + Fingerboard Appliqué (trastes como no violão) + Obligatto Top.
Eu mesmo troquei as cordas afinei com o afinador, arranjei partituras, antes comecei com o parabéns a você, depois passei para outras músicas como Ave Maria. No começo para saber onde ficava as notas da 1ª e 2ª posição digitava "fingerboard violin" no Google image.
Agora com 1 mês tocando, acabo de vender meu Nhureson no Mercado Livre e arrumei, um de Luthier que já foi de um famosíssimo regente e de um violinista.
Agora pretendo entrar num conservatório pois vai que estou aprendendo algo da maneira errada. Nesse caso corto o mal pela rais, heheheh... :D
Meu sonho é tocar as 4 estações do vivaldi mas ainda tem chão...
Creio que estou no mais ou menos.

JBFN disse...

Concerteza, ainda no cara que ja tem um violino chinês